A NOSSA
QUALIDADE.

O propósito assumido é de continuar a trabalhar no sentido de garantir uvas de mesa de alta qualidade produzidas em harmonia com o ambiente num rigoroso controlo de qualidade desde o campo até à mesa.

O processo de produção e embalamento das uvas é controlado segundo a exigência das boas práticas agrícolas e higiene e segurança alimentar. Ao gabinete de qualidade cabe fazer a verificação do controlo sanitário no campo (ausência de podridões, bagoinha ou desavinho dos cachos), coloração e brix (açúcares). No armazém é igualmente efectuado o controlo sanitário, verificada a coloração, o diâmetro do bago, a temperatura de expedição, a temperatura da polpa e a apresentação geral das embalagens e das paletes.

POLÍTICA DE QUALIDADE E SEGURANÇA ALIMENTAR

O Projecto empresarial, Herdade Vale da Rosa, tem por missão a produção de uvas de mesa de alta qualidade, com elevada garantia de higiene e segurança alimentar.

Ciente das, cada vez mais exigentes solicitações de um mercado em permanente evolução e ávido de produtos novos e diferentes, a Herdade Vale da Rosa compromete-se a uma melhoria contínua do seu desempenho em matéria de Qualidade, Segurança Alimentar e Ambiente e a uma constante experimentação e desenvolvimento de novas variedades de uva.

A nossa visão

A Vale da Rosa pretende estar entre os principais players do mercado e ser referência de excelência enquanto produtora de uva de mesa, em particular de uva sem grainha.

A nossa missão

A Vale da Rosa tem como missão o comércio de uvas de mesa de alta qualidade, procurando satisfazer as mais exigentes solicitações de um mercado em permanente evolução e ávido de produtos novos e diferenciados.

Os nossos valores

Satisfação do Cliente – A razão da existência de qualquer negócio.
Sustentabilidade económica, social e ambiental.
Pessoas respeitadas, comprometidas e realizadas.
Foco nos resultados.
Integridade, ética e transparência.
Empreendedorismo responsável.
Profissionalismo.

É política da Herdade Vale da Rosa:

 
  • A avaliação permanente de todos os processos que influenciam a qualidade, legalidade, segurança alimentar e a relação custo/qualidade;
  • O controlo rigoroso da qualidade do produto;
  • A formação contínua dos recursos humanos como forma de motivação e aumento da eficiência;
  • A criação de boas condições de trabalho para os seus funcionários;
  • A colaboração, diálogo e troca de informação com as autoridades, a comunidade científica e outros operadores do setor;
  • O cumprimento de todas as exigências legais, de todos os requisitos das normas pelas quais se encontra certificada e o respeito pelos cadernos de especificações dos Clientes;
  • E o conhecimento das necessidades do seus Clientes, em cada momento.

Para a concretização destes objetivos, é essencial o empenho e contributo de todos os Colaboradores, por forma a assegurar o mais elevado nível de Qualidade e Segurança Alimentar, desde a produção até à expedição e entrega do produto final ao Cliente.

Consciente dos desafios que a espera, diretamente decorrentes dos princípios da sua Política da Qualidade e Segurança Alimentar, a Administração da Herdade Vale da Rosa compromete-se a fazê-los cumprir fornecendo todos os equipamentos, as instalações, a formação e o acompanhamento técnico necessário a todos os Colaboradores.

Esta política é implementada, divulgada, mantida e revista periodicamente.

GLOBAL G.A.P. (Good Agricultural Practice)

A certificação GLOBALG.A.P. Chain of Custody (CoC) assegura que os produtos comercializados são totalmente rastreáveis e segregados ao longo de toda a cadeia de abastecimento, assegura que os GGN’s (números GlobalG.A.P.) de cada produtor são utilizados de forma correta assegurando a rastreabilidade dos produtos certificados GlobalG.A.P. 

Produção Integrada

A produção integrada é um sistema agrícola de produção de produtos agrícolas e géneros alimentícios de qualidade, baseado em boas práticas agrícolas, com gestão racional dos recursos naturais e privilegiando a utilização dos mecanismos de regulação natural em substituição de fatores de produção, contribuindo, deste modo, para uma agricultura sustentável.

A produção integrada tem por base os seguintes princípios:

  1. Regulação do ecossistema, importância do bem-estar dos animais e preservação dos recursos naturais;
  2. Exploração agrícola no seu conjunto, como a unidade de implementação da produção integrada;
  3. Atualização regular dos conhecimentos dos agricultores sobre produção integrada;
  4. Manutenção da estabilidade dos ecossistemas agrários;
  5. Equilíbrio do ciclo dos nutrientes, reduzindo as perdas ao mínimo;
  6. Preservação e melhoria da fertilidade intrínseca do solo;
  7. Fomento da biodiversidade;
  8. Entendimento da qualidade dos produtos agrícolas como tendo por base parâmetros ecológicos, assim como critérios usuais de qualidade, externos e internos;
  9. Proteção das plantas tendo obrigatoriamente por base os objetivos e as orientações da proteção integrada;
  10. Minimização de alguns dos efeitos secundários decorrentes das atividades agrícolas.

GRASP

GRASP significa GLOBALG.A.P. Risk Assessment on Social Practice (Avaliação de Risco em Práticas Sociais). É um referencial que avalia as boas práticas sociais, tais como aspetos específicos da saúde, segurança e bem-estar dos trabalhadores.

Investigação, Desenvolvimento e Inovação

A norma NP 4457:2007 baseia-se num modelo de inovação, suportado por interfaces e interações entre o conhecimento científico e tecnológico, o conhecimento sobre a organização e o seu funcionamento, e o mercado ou a sociedade em geral.

A norma tem por objetivo definir os requisitos de um sistema eficaz de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação (IDI), permitindo que as organizações que o adotem definam uma política de IDI e alcancem os seus objetivos de inovação.

Investigação, Desenvolvimento e Inovação

A ISO – International Organization for Standardization – é uma organização não-governamental que coordena a elaboração e a divulgação de normas técnicas internacionais, entre elas a norma ISO 9001.

A norma NP EN ISO 9001 é o referencial que estabelece os requisitos a serem cumpridos por uma organização com vista a implementar, manter e melhorar um Sistema de Gestão da Qualidade. 

Estes requisitos visam: 

  • Demonstrar aptidão para proporcionar, de forma consistente, um produtos/serviço que vá ao encontro dos requisitos do cliente, estatuários e regulamentares aplicáveis.
  • Aumentar a satisfação do cliente através da aplicação eficaz do sistema, incluindo processos para melhoria contínua do sistema e para garantir a conformidade com os requisitos do cliente, estatutários e regulamentares aplicáveis

A norma ISO 9001 assenta em 7 princípios:

  1. Foco no cliente 
  2. Liderança 
  3. Comprometimento das pessoas 
  4. Abordagem por processos 
  5. Melhoria 
  6. Tomada de decisão baseada em evidências 
  7. Gestão das relações